😎 Oferta de verão exclusiva - Poupe até 50% em ações escolhidas por IA da InvestingProOBTER OFERTA

Só estas quatro indústrias causam 2,7 milhões de mortes na Europa, segundo um novo relatório da OMS

Publicado 13.06.2024, 11:05
© Reuters.  Só estas quatro indústrias causam 2,7 milhões de mortes na Europa, segundo um novo relatório da OMS
PM
-

Apenas quatro indústrias causam 2,7 milhões de mortes por ano na região europeia, segundo um novo relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS).

As indústrias do tabaco, dos alimentos ultra-processados (UPF), dos combustíveis fósseis e do álcool são "total ou parcialmente responsáveis" por quase um quarto de todas as mortes na região, de acordo com o documento.

"Quatro indústrias matam pelo menos 7 mil pessoas na nossa região todos os dias. As mesmas grandes entidades comerciais bloqueiam a regulamentação que protegeria o público de produtos e marketing nocivos e protegeria a política de saúde da interferência da indústria", afirmou o Dr. Hans Kluge, Diretor Regional da OMS para a Europa, num comunicado.

O relatório descreve em pormenor a forma como estas indústrias utilizam táticas de marketing para aumentar os lucros à custa da saúde pública, num amplo ataque às indústrias comerciais.

"As indústrias utilizam um manual semelhante para maximizar os lucros, aumentar o poder de mercado e criar o melhor ambiente para poderem crescer ainda mais", afirma o relatório.

A OMS Europa apela a uma regulamentação mais rigorosa sobre a forma como os produtos nocivos para a saúde são comercializados, prevenindo os conflitos de interesses e combatendo os monopólios.

O impacto das indústrias comerciais na saúde

De acordo com os números do relatório, o tabaco causa 1,1 milhões de mortes por ano na região, enquanto o álcool causa mais de 420 mil mortes.

Os combustíveis fósseis causam mais de meio milhão de mortes por ano na região, enquanto as dietas ricas em carne processada, sódio, bebidas açucaradas e gordura causam cerca de 390 mil mortes por ano na região, segundo o relatório.

A OMS afirmou que os atores comerciais procuram influenciar as políticas, apresentam-se como "parceiros-chave dos governos na abordagem dos danos para a saúde associados aos seus produtos" e tentam desviar a atenção dos danos dos seus produtos.

Um exemplo citado no relatório é o facto de a empresa de tabaco Philip Morris International (NYSE:PM) ter doado ventiladores para a resposta à COVID-19.

Noutro estudo de caso, o relatório descreve em pormenor a forma como a indústria utilizou uma campanha de relações públicas para se opor a um imposto sobre as bebidas açucaradas na Estónia.

"As táticas da indústria incluem a exploração de pessoas vulneráveis através de estratégias de marketing direcionadas, enganando os consumidores e fazendo falsas alegações sobre os benefícios dos seus produtos ou as suas credenciais ambientais", acrescentou Kluge.

O vice-primeiro-ministro belga e ministro da Saúde, Frank Vandenbroucke, que lançou o relatório, afirmou: "Os nossos esforços atuais são ainda insuficientes para regulamentar as práticas nocivas dos agentes comerciais em matéria de saúde e, em especial, as das indústrias que prejudicam a saúde".

"Exorto todos os deputados europeus recém-eleitos e os decisores políticos a reconhecerem a dimensão deste problema e o impacto de longo alcance que as práticas da indústria têm na saúde pública e, na verdade, nos nossos processos democráticos", acrescentou.

Em resposta ao relatório, Rebeca Fernández, directora científica da FoodDrinkEurope, que representa a indústria europeia de alimentos e bebidas e que foi especificamente mencionada na secção sobre bebidas açucaradas, afirmou que ligar "o consumo de alimentos transformados às indústrias do tabaco e dos combustíveis fósseis é irresponsável e escandalosamente enganador".

"Todos precisamos de comida - e todos precisamos de comida processada", acrescentou, afirmando que não existe uma definição consensual" de alimentos ultra-processados.

Últimos comentários

Divulgação de riscos: A realização de transações com instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve altos riscos, incluindo o risco de perda de uma parte ou da totalidade do valor do investimento, e pode não ser adequada para todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos tais como eventos financeiros, regulamentares ou políticos. A realização de transações com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir realizar transações com instrumentos financeiros ou criptomoedas, deve informar-se sobre os riscos e custos associados à realização de transações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente os seus objetivos de investimento, nível de experiência e nível de risco aceitável, e procurar aconselhamento profissional quando este é necessário.
A Fusion Media gostaria de recordar os seus utilizadores de que os dados contidos neste website não são necessariamente fornecidos em tempo real ou exatos. Os dados e preços apresentados neste website não são necessariamente fornecidos por quaisquer mercados ou bolsas de valores, mas podem ser fornecidos por formadores de mercados. Como tal, os preços podem não ser exatos e podem ser diferentes dos preços efetivos em determinados mercados, o que significa que os preços são indicativos e inapropriados para a realização de transações nos mercados. A Fusion Media e qualquer fornecedor dos dados contidos neste website não aceitam a imputação de responsabilidade por quaisquer perdas ou danos resultantes das transações realizadas pelos seus utilizadores, ou pela confiança que os seus utilizadores depositam nas informações contidas neste website.
É proibido usar, armazenar, reproduzir, mostrar, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste website sem a autorização prévia e explicitamente concedida por escrito pela Fusion Media e/ou pelo fornecedor de dados. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados pelos fornecedores e/ou pela bolsa de valores responsável pelo fornecimento dos dados contidos neste website.
A Fusion Media pode ser indemnizada pelos anunciantes publicitários apresentados neste website, com base na interação dos seus utilizadores com os anúncios publicitários ou com os anunciantes publicitários.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que há qualquer discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.