Poupe 40%
Novo! 💥 Adira a ProPicks e veja a estratégia que superou o S&P 500 em + de 1,183% Poupe 40%

Comissão Europeia multa Apple em 1,84 mil milhões de euros por streaming de música

Publicado 04.03.2024, 12:14
Atualizado 04.03.2024, 18:10
© Reuters.  Comissão Europeia  multa Apple em 1,84 mil milhões de euros por streaming de música

A empresa tecnológica norte-americana Apple (NASDAQ:AAPL) foi condenada a pagar uma multa de 1,84 mil milhões de euros por abusar da sua posição dominante no mercado de distribuição de aplicações de streaming de música para utilizadores de iPhone e iPad, informou a Comissão Europeia.

A empresa criou "restrições ilegais aos criadores de aplicações, impedindo-os de assinalar aos consumidores que poderiam obter serviços digitais de acesso a música por assinatura mais baratos", o que viola as regras da concorrência da União Europeia, segundo explicou a comissária europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager.

“Alguns consumidores podem ter pago mais – porque não sabiam. Outros podem não ter conseguido encontrar alternativas. Consideramos que são condições comerciais injustas”, acrescentou Vestager.

A Apple terá de remover essas restrições e evitar que volte a acontecer. Além disso, a gigante da tecnologia deve permitir que os criadores de aplicações possam melhor comunicar com os clientes.

Em resposta à multa de hoje, a Apple disse em comunicado que irá recorrer: "Ajudamos os mercados a prosperar, promovendo a concorrência e a inovação a cada passo – e a App Store é uma parte importante dessa história. Portanto, embora respeitemos a Comissão Europeia, os factos simplesmente não apoiam esta decisão. E, como resultado, a Apple irá recorrer”, afirmou.

A queixa do Spotify (NYSE:SPOT)

O executivo da UE começou a investigar acusações contra a Apple por obstruir outros serviços de música nos seus dispositivos depois da empresa sueca de streaming de música, Spotify, ter apresentado uma queixa formal, em 2019.

O Spotify alegou que a Apple limitou a escolha e a concorrência na sua loja de aplicações, cobrando uma taxa de 30% em todas as compras e impedindo que outras pessoas informassem aos clientes que poderiam evitar as taxas extras inscrevendo-se no site do Spotify.

Mas a Apple argumenta que foi ela que permitiu ao Spotify transformar-se no maior negócio de música digital do mundo.

“Apesar desse sucesso e do papel da App Store em torná-lo possível, o Spotify não paga nada à Apple. Isso porque o Spotify – como muitos desenvolvedores da App Store – fez uma escolha. Em vez de vender assinaturas na sua aplicação, eles vendem-nas no seu website. E a Apple não cobra comissão sobre essas compras”, afirmou.

Outras multas

A Apple, que nunca tinha sido multada pela Comissão Europeia, também recebeu uma multa de 1,1 mil milhões de euros, em França, por alegado comportamento anti-concorrencial em 2020, que foi reduzida para 372 milhões de euros após recurso.

A multa hoje anunciada acontece no momento em que os chamados gatekeepers - empresas tecnológicas gigantes tais como Apple, Amazon (NASDAQ:AMZN) e Google (NASDAQ:GOOGL) - devem passar a cumprir a Lei dos Mercados Digitais (LMD) da UE, a partir de 7 de março. Estas regras exigem que as maiores empresas de tecnologia partilhem informações sobre os seus serviços com os seus concorrentes.

Vestager disse que espera que a LMD acelere investigações similares ao da que foi feita à Apple.

Últimos comentários

Divulgação de riscos: A realização de transações com instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve altos riscos, incluindo o risco de perda de uma parte ou da totalidade do valor do investimento, e pode não ser adequada para todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos tais como eventos financeiros, regulamentares ou políticos. A realização de transações com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir realizar transações com instrumentos financeiros ou criptomoedas, deve informar-se sobre os riscos e custos associados à realização de transações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente os seus objetivos de investimento, nível de experiência e nível de risco aceitável, e procurar aconselhamento profissional quando este é necessário.
A Fusion Media gostaria de recordar os seus utilizadores de que os dados contidos neste website não são necessariamente fornecidos em tempo real ou exatos. Os dados e preços apresentados neste website não são necessariamente fornecidos por quaisquer mercados ou bolsas de valores, mas podem ser fornecidos por formadores de mercados. Como tal, os preços podem não ser exatos e podem ser diferentes dos preços efetivos em determinados mercados, o que significa que os preços são indicativos e inapropriados para a realização de transações nos mercados. A Fusion Media e qualquer fornecedor dos dados contidos neste website não aceitam a imputação de responsabilidade por quaisquer perdas ou danos resultantes das transações realizadas pelos seus utilizadores, ou pela confiança que os seus utilizadores depositam nas informações contidas neste website.
É proibido usar, armazenar, reproduzir, mostrar, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste website sem a autorização prévia e explicitamente concedida por escrito pela Fusion Media e/ou pelo fornecedor de dados. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados pelos fornecedores e/ou pela bolsa de valores responsável pelo fornecimento dos dados contidos neste website.
A Fusion Media pode ser indemnizada pelos anunciantes publicitários apresentados neste website, com base na interação dos seus utilizadores com os anúncios publicitários ou com os anunciantes publicitários.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que há qualquer discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.