Poupe 40%
Novo! 💥 Adira a ProPicks e veja a estratégia que superou o S&P 500 em + de 1,183% Poupe 40%

NOVA 1-Portugal considera ordenar hospitais privados que tratem pacientes COVID após número mortes recorde

Publicado 11.01.2021, 15:21
Atualizado 11.01.2021, 15:24

(Acrescenta mais informação)

LISBOA, 11 Jan (Reuters) - Portugal disse estar a considerar a opção de pedir aos hospitais privados que tratem doentes com coronavírus e forneça camas e equipamento, uma vez que o país reportou um número recorde de doentes com COVID-19 em unidades de cuidados intensivos e o maior número de mortes num dia.

A autoridade de saúde, DGS, disse que o número de mortes registado nas últimas 24 horas atingiu 122, elevando o total para 7.925, enquanto novas infecções aumentaram 5.604 de domingo para um total de 489.293 numa nação de pouco mais de 10 milhões de pessoas.

Um novo recorde de 567 pacientes COVID-19 encontram-se em unidades de cuidados intensivos, colocando uma pressão crescente sobre o sistema de saúde, que antes da pandemia tinha o menor número de camas de cuidados críticos por 100.000 habitantes na Europa.

Muitos hospitais em todo o país já disseram que estão a lutar para lidar com a situação actual.

Para aliviar a pressão, a Ministra da Saúde, Marta Temido, disse que a chamada requisição civil, que só pode ser decretada se houver sérias preocupações sobre o funcionamento dos serviços fundamentais, incluiria uma compensação justa para os hospitais privados.

"É uma hipótese", disse Marta Temido aos jornalistas, durante uma visita a um hospital militar. "Não hesitaremos em lançar mão desse mecanismo ... se não formos capazes de ultrapassar as dificuldades".

O governo recorreu pela última vez a uma requisição civil em 2019, quando ordenou aos trabalhadores grevistas do transporte de matérias perigosas que voltassem ao trabalho depois de os abastecimentos de combustível terem sido reduzidos em locais que incluíam o aeroporto de Lisboa.

Temido disse que o aumento de casos e mortes se devia à decisão do governo de aliviar as restrições por volta do Natal e do tempo frio que varre toda a nação.

O governo disse no sábado que um novo confinamento semelhante ao de Março, que obrigou todas as empresas não essenciais a fechar e a maioria das pessoas a ficar em casa durante seis semanas, começaria esta semana. É provável que as medidas sejam anunciadas na quarta-feira. (Por Lisbon bureau; Escrito por Catarina Demony; Traduzido para português por Patrícia Vicente Rua)

Últimos comentários

Divulgação de riscos: A realização de transações com instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve altos riscos, incluindo o risco de perda de uma parte ou da totalidade do valor do investimento, e pode não ser adequada para todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos tais como eventos financeiros, regulamentares ou políticos. A realização de transações com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir realizar transações com instrumentos financeiros ou criptomoedas, deve informar-se sobre os riscos e custos associados à realização de transações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente os seus objetivos de investimento, nível de experiência e nível de risco aceitável, e procurar aconselhamento profissional quando este é necessário.
A Fusion Media gostaria de recordar os seus utilizadores de que os dados contidos neste website não são necessariamente fornecidos em tempo real ou exatos. Os dados e preços apresentados neste website não são necessariamente fornecidos por quaisquer mercados ou bolsas de valores, mas podem ser fornecidos por formadores de mercados. Como tal, os preços podem não ser exatos e podem ser diferentes dos preços efetivos em determinados mercados, o que significa que os preços são indicativos e inapropriados para a realização de transações nos mercados. A Fusion Media e qualquer fornecedor dos dados contidos neste website não aceitam a imputação de responsabilidade por quaisquer perdas ou danos resultantes das transações realizadas pelos seus utilizadores, ou pela confiança que os seus utilizadores depositam nas informações contidas neste website.
É proibido usar, armazenar, reproduzir, mostrar, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste website sem a autorização prévia e explicitamente concedida por escrito pela Fusion Media e/ou pelo fornecedor de dados. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados pelos fornecedores e/ou pela bolsa de valores responsável pelo fornecimento dos dados contidos neste website.
A Fusion Media pode ser indemnizada pelos anunciantes publicitários apresentados neste website, com base na interação dos seus utilizadores com os anúncios publicitários ou com os anunciantes publicitários.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que há qualquer discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.