Poupe 40%
Novo! 💥 Adira a ProPicks e veja a estratégia que superou o S&P 500 em + de 1,183% Poupe 40%

Microsoft tem luz verde para comprar Activision por 65 mil milhões de euros

Publicado 13.10.2023, 15:12
Atualizado 13.10.2023, 15:40
© Reuters.  Microsoft tem luz verde para comprar Activision por 65 mil milhões de euros

A compra da Activision Blizzard pela Microsoft (NASDAQ:MSFT) obteve na sexta-feira a aprovação final do organismo britânico responsável pela concorrência, que reverteu a decisão anterior de bloquear o negócio de 69 mil milhões de dólares (65 mil milhões de euros) e remove um último obstáculo a uma das maiores transações tecnológicas da história.

A bênção da Autoridade da Concorrência e dos Mercados (CMA) era esperada depois de ter dado uma aprovação preliminar, no mês passado, a uma proposta renovada da Microsoft destinada a responder às preocupações de que o negócio prejudicaria a concorrência e prejudicaria os jogadores.

Esta decisão assinala uma vitória certa na tentativa do fabricante da Xbox de adquirir a Activision, fabricante da popular série de jogos "Call of Duty".

As empresas tinham concordado em prolongar o prazo original de meados de julho até 18 de outubro para ultrapassar as objeções da autoridade reguladora britânica. A aprovação também ajuda a Microsoft a evitar pagar à Activision uma multa de 4,5 mil milhões de dólares se o negócio não for concluído.

"O novo acordo impedirá a Microsoft de bloquear a concorrência no sector dos jogos em nuvem, numa altura em que este mercado está a descolar, preservando preços e serviços competitivos para os clientes de jogos em nuvem do Reino Unido", afirmou a autoridade reguladora num comunicado na sexta-feira.

O presidente da Microsoft, Brad Smith, disse que a empresa estava grata pela "revisão e decisão minuciosas".

"Ultrapassámos agora o último obstáculo regulamentar para fechar esta aquisição, que acreditamos que irá beneficiar os jogadores e a indústria do jogo em todo o mundo", afirmou.

O CEO da Activision, Bobby Kotick, também saudou a notícia: "Estamos ansiosos por fazer parte da equipa Xbox".

Missão cumprida?

Desde que o acordo foi anunciado em janeiro de 2022, a Microsoft obteve aprovações das autoridades da concorrência em mais de 40 países. Crucialmente, obteve o aval da União Europeia a 27, depois de concordar em permitir que os utilizadores e as plataformas de jogos em nuvem transmitissem os seus títulos sem pagar direitos de autor durante 10 anos.

Mas o acordo enfrentou a resistência das autoridades reguladoras britânicas e norte-americanas, que receavam que o mesmo pudesse asfixiar a concorrência na indústria dos videojogos. A Sony, a principal rival, temia que o acordo limitasse o acesso dos jogadores da PlayStation a "Call of Duty", a série de tiro militar de longa duração da Activision.

A Comissão Federal do Comércio dos Estados Unidos perdeu uma tentativa de suspender o acordo para que o seu juiz interno o pudesse analisar. A FTC não desistiu, tendo recorrido da decisão e, no mês passado, notificado o seu plano para retomar o julgamento. Este facto assinala a intenção da autoridade reguladora dos EUA de anular o acordo, mesmo após a sua conclusão.

Entretanto, o regulador britânico foi o último grande obstáculo à concretização da transação. A aprovação da CMA surgiu depois de a Microsoft ter atualizado a sua oferta em agosto.

No âmbito do acordo reestruturado, a Microsoft venderá ao estúdio francês Ubisoft Entertainment os direitos de transmissão em nuvem fora da UE e de três outros países europeus para todos os jogos Activision actuais e novos lançados nos próximos 15 anos.

As autoridades reguladoras britânicas tinham inicialmente bloqueado a transação em abril por recearem que a Microsoft pudesse reter os títulos da Activision no mercado emergente dos jogos em nuvem, onde os jogadores podem evitar comprar consolas caras e jogar a partir dos seus tablets ou telemóveis.

Depois, numa ação sem precedentes, a autoridade britânica adiou a decisão final, dizendo que precisava de reconsiderar e concordando com a Microsoft em suspender o processo de recurso.

Um dos fatores foi a aprovação da UE, concedida depois de a Microsoft ter prometido licenciar automaticamente os títulos da Activision a título gratuito para as plataformas de jogos na nuvem. De acordo com os documentos do tribunal, outra "alteração material das circunstâncias" que o organismo de controlo disse ter de considerar foi um acordo que a Microsoft assinou com a Sony para disponibilizar os jogos "Call of Duty" na PlayStation durante pelo menos 10 anos.

Últimos comentários

Divulgação de riscos: A realização de transações com instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve altos riscos, incluindo o risco de perda de uma parte ou da totalidade do valor do investimento, e pode não ser adequada para todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos tais como eventos financeiros, regulamentares ou políticos. A realização de transações com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir realizar transações com instrumentos financeiros ou criptomoedas, deve informar-se sobre os riscos e custos associados à realização de transações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente os seus objetivos de investimento, nível de experiência e nível de risco aceitável, e procurar aconselhamento profissional quando este é necessário.
A Fusion Media gostaria de recordar os seus utilizadores de que os dados contidos neste website não são necessariamente fornecidos em tempo real ou exatos. Os dados e preços apresentados neste website não são necessariamente fornecidos por quaisquer mercados ou bolsas de valores, mas podem ser fornecidos por formadores de mercados. Como tal, os preços podem não ser exatos e podem ser diferentes dos preços efetivos em determinados mercados, o que significa que os preços são indicativos e inapropriados para a realização de transações nos mercados. A Fusion Media e qualquer fornecedor dos dados contidos neste website não aceitam a imputação de responsabilidade por quaisquer perdas ou danos resultantes das transações realizadas pelos seus utilizadores, ou pela confiança que os seus utilizadores depositam nas informações contidas neste website.
É proibido usar, armazenar, reproduzir, mostrar, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste website sem a autorização prévia e explicitamente concedida por escrito pela Fusion Media e/ou pelo fornecedor de dados. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados pelos fornecedores e/ou pela bolsa de valores responsável pelo fornecimento dos dados contidos neste website.
A Fusion Media pode ser indemnizada pelos anunciantes publicitários apresentados neste website, com base na interação dos seus utilizadores com os anúncios publicitários ou com os anunciantes publicitários.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que há qualquer discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.