🟢 Os mercados subiram. Os mais de 120 000 membros da nossa comunidade sabem o que devem fazer. Você também pode saber.Poupe 40%

BOVESPA-Exterior respalda alta na semana em meio a cenário doméstico frágil

Publicado 09.04.2021, 21:36
Atualizado 09.04.2021, 21:42
© Reuters.
US500
-
DJI
-
BVSP
-
IEE
-
INDX
-
IMOB
-
IFNC
-
IMAT
-
UTIL
-
BBDC4
-
CSNA3
-
EMBR3
-
YDUQ3
-
GGBR4
-
ITUB4
-
QUAL3
-
USIM5
-
ICON
-
SMLL
-
ENGI11
-

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO, 9 Abr (Reuters) - O Ibovespa fechou a sexta-feira com um declínio discreto, mas acumulou um desempenho positivo na semana, beneficiado por perspectivas favoráveis para a recuperação da economia norte-americana, mas também pela ausência de novidades negativas relevantes no Brasil.

Nos Estados Unidos, o S&P 500 .SPX e o Dow Jones .DJI renovaram recordes nos últimos pregões após sinais melhores sobre a atividade e de que o Federal Reserve não está nem perto de reduzir seu apoio àquela economia. O país também acelerou o ritmo de vacinação contra a Covid-19.

Na visão do sócio da Manchester Investimentos Eduardo Cubas Pereira, é esse cenário que está por trás da performance do Ibovespa nessa semana, embora ele também cite perspectivas de um aumento no ritmo de vacinação contra o coronoavírus no Brasil como mais um componente.

"Há potencial de (a vacinação) ser mais rápida, temos visto comprometimento maior de órgãos públicos, de governo de modo geral para acelerar o ritmo", observou.

Pereira também citou que a grave situação da pandemia de Covid-19 no país, bem como o impasse relacionado ao Orçamento 2021 são fatores que não são novos e não mostraram nos últimos dias novidades relevantes, apenas desdobramentos, o que abriu espaço para o efeito benigno do exterior.

"Mas o Brasil vive uma situação fiscal extremamente frágil, e se as reformas eventualmente não andarem, o país pode sim passar por dificuldades mais sérias e realizações de lucros mais intensas podem ocorrer na bolsa", ponderou.

A queda no volume financeiro negociado diariamente na bolsa em abril referenda os receios com o cenário doméstico, com a média neste mês em 27,4 bilhões de reais, contra 36,9 bilhões de reais em março, 38,6 bilhões de reais em fevereiro e 36,3 bilhões de reais em janeiro.

Estrangeiros também continuam mostrando saída líquida do mercado acionário secundário brasileiro, com o saldo em abril negativo em 47,7 milhões de reais até o dia 7. Em todo o mês anterior, o déficit foi de 4,6 bilhões de reais. Em fevereiro, as saídas superaram as entradas em 6,8 bilhões.

Ainda assim, o mercado de ofertas de ações - IPOs e follow-ons - continuou aquecido, com o calendário do mês incluindo a precificação de operações de empresas como Hospital Care, Caixa Seguridade, modalmais, Infracommerce, Blau Farmacêutica, Rio Alto Energia.

Nesta sexta-feira, o Ibovespa .BVSP caiu 0,54%, a 117.669,90 pontos, mas acumulou alta de 2% na semana, assegurando desempenho positivo de 0,89% no mês e reduzindo a perda no ano para 1,13%.

Maiores baixas do Ibovespa no dia .PL.BVSP

Maiores altas do Ibovespa no dia .PG.BVSP

O índice Small Caps .SMLL avançou 0,27%, a 2.903,17 pontos, com alta de 4,62% na semana e 3,78% no mês. No ano, a performance está positiva em 2,86%

O volume negociado no pregão nesta sexta-feira somou 25,88 bilhões de reais.

DESTAQUES DO IBOVESPA DO ACUMULADO DO MÊS:

- YDUQS ON YDUQ3.SA avança 17,15%, buscando se recuperar após perda de quase 19% acumulada nos três primeiros meses do ano. Analistas com recomendação de compra para a ação citam entre os argumentos perspectivas positivas para a empresa de educação no longo prazo, embora os últimos dados conhecidos ainda tenham mostrado pressão em margens por maiores provisões e as expectativas no curto prazo contemplem efeito da pandemia de Covid-19 no ciclo de captação de alunos para 2021.

- EMBRAER ON EMBR3.SA sobe 13,92%, dando continuidade à valorização desde o começo de fevereiro, que já totaliza uma elevação de mais de 80% em 2021. No mês passado, o presidente-executivo da fabricante de aviões, Francisco Gomes Neto, afirmou que a companhia está trabalhando ativamente em novas parcerias de desenvolvimento de produtos e espera fazer um anúncio em breve. Além disso, analistas têm destacado que indicadores antecedentes dos jatos executivos estão melhorando.

- CSN ON CSNA3.SA valoriza-se 13,69%, tendo renovado cotações recordes, em meio um ambiente ainda favorável para os preços de aço, além de perspectivas de desalavancagem do grupo. Investidores também têm no radar a possibilidade de mais um IPO de uma de suas unidades, no caso, a de cimento. Em fevereiro, a companhia listou sua divisão de mineração. No setor, USIMINAS PNA USIM5.SA sobe 12,28% e GERDAU PN GGBR4.SA avança 2,98%.

- BRADESCO PN BBDC4.SA recua 5,8%, em meio a ajustes após forte valorização em março, de 16,5%, sofrendo ainda com ruídos sobre aumento de tributação no setor e atraso na retomada da economia brasileira. No setor, ITAÚ UNIBANCO PN ITUB4.SA contabiliza perda de 4,7%, após alta de 9,7% no mês anterior.

- ENERGISA UNIT ENGI11.SA perde 5,04%, com o noticiário sobre a elétrica incluindo decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de adiar reajuste tarifário de empresas da companhia que atuam no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, enquanto avalia saídas para conter uma tendência de forte aumento de custos para os consumidores neste ano. A companhia também anunciou que fará oferta pública de aquisição de ações (OPA) de emissão da Rede Energia Participações.

- QUALICORP ON QUAL3.SA cai 4,74%, na esteira do resultado o último trimestre de 2020 divulgado no final de março, com queda na receita e no desempenho operacional medido pelo Ebitda ajustado e nas respectivas margens, com alguns analistas avaliando que ainda não viram um "ramp up" nos números de 2020 diante da nova realidade da companhia.

Veja o comportamento dos principais índices setoriais na B3 no acumulado do mês:

- Índice financeiro .IFNC : -1,79%

- Índice de consumo .ICON : +2,25%

- Índice de Energia Elétrica .IEE : -1,10%

- Índice de materiais básicos .IMAT : +6,47%

- Índice do setor industrial .INDX : +3,97%

- Índice imobiliário .IMOB : +1,16%

- Índice de utilidade pública .UTIL : -0,49% (Edição Alberto Alerigi Jr.)

Últimos comentários

A carregar o próximo artigo...
Divulgação de riscos: A realização de transações com instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve altos riscos, incluindo o risco de perda de uma parte ou da totalidade do valor do investimento, e pode não ser adequada para todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos tais como eventos financeiros, regulamentares ou políticos. A realização de transações com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir realizar transações com instrumentos financeiros ou criptomoedas, deve informar-se sobre os riscos e custos associados à realização de transações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente os seus objetivos de investimento, nível de experiência e nível de risco aceitável, e procurar aconselhamento profissional quando este é necessário.
A Fusion Media gostaria de recordar os seus utilizadores de que os dados contidos neste website não são necessariamente fornecidos em tempo real ou exatos. Os dados e preços apresentados neste website não são necessariamente fornecidos por quaisquer mercados ou bolsas de valores, mas podem ser fornecidos por formadores de mercados. Como tal, os preços podem não ser exatos e podem ser diferentes dos preços efetivos em determinados mercados, o que significa que os preços são indicativos e inapropriados para a realização de transações nos mercados. A Fusion Media e qualquer fornecedor dos dados contidos neste website não aceitam a imputação de responsabilidade por quaisquer perdas ou danos resultantes das transações realizadas pelos seus utilizadores, ou pela confiança que os seus utilizadores depositam nas informações contidas neste website.
É proibido usar, armazenar, reproduzir, mostrar, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste website sem a autorização prévia e explicitamente concedida por escrito pela Fusion Media e/ou pelo fornecedor de dados. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados pelos fornecedores e/ou pela bolsa de valores responsável pelo fornecimento dos dados contidos neste website.
A Fusion Media pode ser indemnizada pelos anunciantes publicitários apresentados neste website, com base na interação dos seus utilizadores com os anúncios publicitários ou com os anunciantes publicitários.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que há qualquer discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.