😎 Oferta de verão exclusiva - Poupe até 50% em ações escolhidas por IA da InvestingProOBTER OFERTA

Invest Monthly - Outubro 2020

Publicado 28.10.2020, 10:52
NDX
-
DE40
-
BCP
-
MOTA
-
PSI20
-
CTT
-

Indicadores Económicos

A economia americana cresceu 1,90% no terceiro trimestre, superando as estimativas que indicavam para 1,60%. Mais uma vez, o consumo foi o grande motor desta subida, ao registar um aumento de 2,90%, superior aos 2,60% previstos. Ainda assim, este dado indicia a desaceleração da economia americana, que nos primeiros trimestres do ano tinha crescido 3,10% e 2,00%, respectivamente. Em Outubro, a economia americana criou 128 mil empregos, face aos 75 mil empregos esperados. A taxa de desemprego manteve-se em níveis reduzidos (3,70%) e os salários cresceram 3,00% em termos anuais.

Na China, foi anunciado que o índice PMI relativo à indústria subiu dos 51,4 para os 51,7 pontos, não só contrariando as estimativas dos economistas (51,0), como distanciando-se dos 50 pontos, nível crítico que separa uma fase de expansão de uma fase de contração.

Evolução dos Mercados Accionistas

Outubro foi um mês positivo para os mercados accionistas. Na Europa, os índices DAX-30 e o EuroStoxx-50 registaram subidas de 3,5% e 1,0%, respectivamente. Nos EUA, os índices S&P-500 e o Nasdaq-100 terminaram o mês com valorizações de 2,0% e 4,3%, atingindo novos máximos históricos. Em linha com as praças europeias, o índice nacional PSI-20 subiu 2,9%. As maiores valorizações do mês foram as dos CTT (LS:CTT) (34,8%), Mota Engil (LS:MOTA) (9,6%) e BCP (LS:BCP) (6,5%). Destaque para a forte valorização dos CTT, após a divulgação dos seus resultados relativos ao 3º trimestre do ano. Com efeito, os rendimentos operacionais aumentaram 8,80% face ao mesmo período de 2018 para os 184,6 M. de euros, face aos 175 M. de euros esperados. O EBITDA fixou-se nos 26,9 M. de euros, ligeiramente acima dos 25 M. de euros esperados e o resultado líquido atingiu os 13,9 M. de euros, em linha com o previsto (13 M. de euros).

Índices Accionistas

Sem surpresas, a Reserva Federal norte-americana (FED) diminuiu as taxas diretoras em 0,25% para o intervalo 1,50%-1,75%, reiterando que a economia americana continua numa fase de expansão moderada. Contudo no horizonte pairam vários riscos, como as tensões comerciais entre a China e os EUA e a desaceleração da economia global. A FED acredita que a actual nível da política monetária é adequada e continuará a monitorizar a evolução do quadro macroeconómico, sinalizando ao mercado que não deverá, salvo uma acentuada deterioração da conjuntura macroeconómica, continuar a descer as taxas diretoras.

Taxas

Por sua vez, o Banco Central Europeu (BCE) manteve o mesmo tom de discurso face às reuniões anteriores e não acrescentou nada de novo relativamente à sua política monetária. Esta reunião marcou a despedida de Draghi como presidente da instituição.

Relativamente ao Brexit, o governo de Londres confirmou a decisão de prolongamento do processo do Brexit oferecido pela UE até 31 de Janeiro. O Reino Unido vai realizar eleições antecipadas no próximo dia 12 de Dezembro.

Em relação às relações sino-americanas, as autoridades de Pequim manifestaram dúvidas quanto à possibilidade de alcançar um acordo de longo prazo com o Presidente Donald Trump, devido à sua natureza impulsiva e o risco de este recuar. Contudo, o Presidente norte-americano apressou-se, através de um tweet, em atenuar o cepticismo chinês e no final do mês, foi divulgado que a China e os EUA tinham superado alguns obstáculos que ainda subsistiam na elaboração de um acordo relativo à primeira fase do processo negocial. Esta retoma das negociações comerciais entre os EUA e a China deram bastante optimismo aos investidores, criando boas expectivas que as duas nações possam assinar a primeira fase de um acordo em breve.

Alocação de Activos

As carteiras valorizaram 0,19% no mês de Outubro, estando a valorizar 15,3% desde o início do ano, mais 125 bp que o respectivo benchmark. O mês agora findo foi positivo para os mercados accionistas, com os índices de referência norte-americano, S&P-500, e europeu, EuroStoxx-50, a subirem 2,0% e 1,0%, respectivamente, em moeda local. Durante o mês, os índices norte-americanos S&P-500 e Nasdaq-100 atingiram novos máximos históricos, impulsionados pelas perspectivas de um acordo comercial intermédio entre os Estados Unidos da América (EUA) e a China, fomentando o optimismo nos investidores, que receavam uma escalada de medidas proteccionistas. Outro factor favorável para os mercados accionistas foi a nova descida, a terceira este ano, da taxa directora por parte da Reserva Federal (FED), para o intervalo 1,50%-1,75%. Na Europa, o Reino Unido e a União Europeia aprovaram um novo acordo sobre Brexit, porém o governo britânico não obteve apoio parlamentar para a aprovação do mesmo. Assim, a União Europeia aceitou, após pedido britânico, uma extensão do prazo de saída, de 31 de Outubro para 31 de Janeiro de 2020. Entretanto, e de forma a concluir o processo do Brexit, o primeiro-ministro Boris Johnson marcou eleições legislativas para o próximo dia 12 de Dezembro.

Em termos da gestão, procedeu-se a uma redução do beta da componente accionista da carteira, de forma a reduzir a volatilidade, e continua-se com níveis elevados em liquidez de forma a preservar os ganhos registados desde o início do ano e poder aproveitar eventuais momentos de stress do mercado.

Estratégia de InvestimentoRendibilidade Histórica

Disclaimer:
A informação contida neste documento tem um carácter exclusivamente informativo e particular. A informação foi obtida junto de fontes consideradas fiáveis, não sendo, contudo, possível garantir a sua precisão. As opiniões expressas são da inteira responsabilidade dos seus autores, reflectindo apenas os seus pontos de vista, os quais podem não ser coincidentes com opiniões expressas por outras áreas do Banco Invest, SA. O Banco Invest, SA rejeita qualquer responsabilidade por eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente, da utilização da informação referida neste documento. O Banco Invest, SA e os seus colaboradores poderão deter posições em qualquer activo mencionado neste documento. A reprodução de parte ou totalidade desta publicação é permitida, sujeita a indicação da fonte. Relativamente ao produto “Invest – Dinâmico”, as taxas de rendibilidade apresentadas são líquidas de comissões de gestão e correspondem à mediana das rendibilidades das carteiras sobre gestão discricionária no perfil “Dinâmico”. As rendibilidades dos índices que compõem o Benchmark são obtidas junto da Bloomberg. Taxas de rendibilidade e risco calculadas com base na cotação dos diversos ativos a 31-Out-19. Rendibilidades passadas não constituem garantia de rendibilidades futuras. A rendibilidade do investimento depende da evolução dos ativos detidos em Carteira, e pode ser influenciada por factores políticos, económicos e financeiros, incluindo variações cambiais, que estão inter-relacionados, bem como por outros factores que afectam, genericamente, os mercados financeiros.

Últimos comentários

A carregar o próximo artigo...
Divulgação de riscos: A realização de transações com instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve altos riscos, incluindo o risco de perda de uma parte ou da totalidade do valor do investimento, e pode não ser adequada para todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos tais como eventos financeiros, regulamentares ou políticos. A realização de transações com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir realizar transações com instrumentos financeiros ou criptomoedas, deve informar-se sobre os riscos e custos associados à realização de transações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente os seus objetivos de investimento, nível de experiência e nível de risco aceitável, e procurar aconselhamento profissional quando este é necessário.
A Fusion Media gostaria de recordar os seus utilizadores de que os dados contidos neste website não são necessariamente fornecidos em tempo real ou exatos. Os dados e preços apresentados neste website não são necessariamente fornecidos por quaisquer mercados ou bolsas de valores, mas podem ser fornecidos por formadores de mercados. Como tal, os preços podem não ser exatos e podem ser diferentes dos preços efetivos em determinados mercados, o que significa que os preços são indicativos e inapropriados para a realização de transações nos mercados. A Fusion Media e qualquer fornecedor dos dados contidos neste website não aceitam a imputação de responsabilidade por quaisquer perdas ou danos resultantes das transações realizadas pelos seus utilizadores, ou pela confiança que os seus utilizadores depositam nas informações contidas neste website.
É proibido usar, armazenar, reproduzir, mostrar, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste website sem a autorização prévia e explicitamente concedida por escrito pela Fusion Media e/ou pelo fornecedor de dados. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados pelos fornecedores e/ou pela bolsa de valores responsável pelo fornecimento dos dados contidos neste website.
A Fusion Media pode ser indemnizada pelos anunciantes publicitários apresentados neste website, com base na interação dos seus utilizadores com os anúncios publicitários ou com os anunciantes publicitários.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que há qualquer discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.