😎 Oferta de verão exclusiva - Poupe até 50% em ações escolhidas por IA da InvestingProOBTER OFERTA

RPT-Cabovisão muda marca para NOWO, quer duplicar quota para 10 pct em 2018

Publicado 14.09.2016, 08:10
© Reuters.  RPT-Cabovisão muda marca para NOWO, quer duplicar quota para 10 pct em 2018
KPN
-
ATCA
-

(Repete notícia divulgada ontem ao final da tarde)

Por Daniel Alvarenga

LISBOA, 14 Set (Reuters) - A NOWO, ex-Cabovisão, quer duplicar em dois anos a quota de receitas nas telecoms em Portugal para 10 pct, partindo de uma oferta base a 19,99 euros por mês e apostando em pacotes convergentes flexíveis, com períodos de fidelização mais curtos.

A operadora, detida pelos fundos APAX France e Fortino, da Bélgica, após alienação pela Altice ATCA.AS em 2015, alterou a marca para NOWO e apresentou hoje a nova estratégia à Imprensa.

O Chief Executive Officer (CEO) da NOWO, Miguel Veiga Martins, disse que a telecom será disruptiva no maduro mercado das telecoms em Portugal, sublinhando a visão de longo prazo dos accionistas.

"Para terem uma ideia de quão sérios (a APAX e a Fortino) estão no mercado e qual é a transformação que querem fazer através da NOWO, na Fortino, o partner principal desse fundo é um senhor chamado Duco Sickinge: foi CEO da (belga) Telenet e é hoje Chairman do Conselho de Supervisão da (telecom holandesa) KPN KPN.AS ", afirmou Miguel Veiga Martins.

"É ele a nossa ligação, é ele que tem o 'know-how' das telecoms e que também contribuiu para esta transformação e para arrumar a casa. Estes accionistas estão para ficar, querem investir e continuar esta transformação".

A nova oferta da NOWO surge num momento de ligeira recuperação dos preços dos pacots convergentes do sector, que tem sido pautado por vários anos de quedas de receitas.

No primeiro trimestre de 2016, as receitas totais de telecoms em Portugal cresceram pela primeira vez em cinco anos, expandindo 0,9 pct em termos homólogos para 916 milhões de euros (ME), segundo dados da ANACOM.

A NOWO quer duplicar a actual quota de 5 pct, visando os 400.000 clientes.

"O mercado está saturado, atingiu uma maturidade tão grande que é preciso mudar o modelo de negócio", referiu o CEO Miguel Veiga Martins.

"Não acredito que o mercado cresça sem mudar porque os custos crescem e este modelo não é sustentável. Temos de nos reinventar".

A NOWO conta com uma rede de fibra óptica e cabo coaxial que chega a mais de 900.000 casas e estabeleceu um acordo de MVNO-operador móvel virtual no início de 2016, que entrega cobertura nacional 4G.

"No ano em curso queremos chegar a 6 pct de quota. Temos rede suficiente, temos ambição para isso. Há grande espaço de crescimento", sublinhou o CEO da NOWO.

"Em dois ou três anos andamos à volta de investir cerca de 30 ME. Nunca será à escala dos outros operadores, vamos focar-nos nas nossas regiões".

DISRUPTIVO?

José Henriques, Chief Marketing Officer, adiantou que "na oferta da NOWO não há contratos de permanência de 24 meses, o mais longo é 12 meses: isto é disrupção de mercado".

Explicou que a oferta base consiste no serviço de internet a 100 Megabits por segundo, que inclui 33 canais de TV, a 19,99 euros por mês.

"O móvel ainda não é possível subscrever só por si, acreditamos que no médio prazo será possível. O serviço de televisão também não, será sempre agregado por cima dos serviços de internet", disse José Henriques.

Os clientes fidelizados a um ano não pagam pela instalação dos serviços, os que aceitem um contrato de permanência de seis meses pagam 30 euros pelo pacote básico, e os que optem por não ter contrato de permanência pagam 50 euros. (Editado por Sérgio Gonçalves)

Últimos comentários

Divulgação de riscos: A realização de transações com instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve altos riscos, incluindo o risco de perda de uma parte ou da totalidade do valor do investimento, e pode não ser adequada para todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos tais como eventos financeiros, regulamentares ou políticos. A realização de transações com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir realizar transações com instrumentos financeiros ou criptomoedas, deve informar-se sobre os riscos e custos associados à realização de transações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente os seus objetivos de investimento, nível de experiência e nível de risco aceitável, e procurar aconselhamento profissional quando este é necessário.
A Fusion Media gostaria de recordar os seus utilizadores de que os dados contidos neste website não são necessariamente fornecidos em tempo real ou exatos. Os dados e preços apresentados neste website não são necessariamente fornecidos por quaisquer mercados ou bolsas de valores, mas podem ser fornecidos por formadores de mercados. Como tal, os preços podem não ser exatos e podem ser diferentes dos preços efetivos em determinados mercados, o que significa que os preços são indicativos e inapropriados para a realização de transações nos mercados. A Fusion Media e qualquer fornecedor dos dados contidos neste website não aceitam a imputação de responsabilidade por quaisquer perdas ou danos resultantes das transações realizadas pelos seus utilizadores, ou pela confiança que os seus utilizadores depositam nas informações contidas neste website.
É proibido usar, armazenar, reproduzir, mostrar, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos neste website sem a autorização prévia e explicitamente concedida por escrito pela Fusion Media e/ou pelo fornecedor de dados. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados pelos fornecedores e/ou pela bolsa de valores responsável pelo fornecimento dos dados contidos neste website.
A Fusion Media pode ser indemnizada pelos anunciantes publicitários apresentados neste website, com base na interação dos seus utilizadores com os anúncios publicitários ou com os anunciantes publicitários.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que há qualquer discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.